Hoje é feriado em São José dos Campos: Dia do Padroeiro São José

matriz de são jose em sjc
Foto: Antonio Basilio SJC – Igreja Matriz, centro de São José dos Campos

Hoje, dia 19 de março, é feriado em São José dos Campos, conforme a Lei  8.821/12.

Descendente da casa real de Davi, São José é o esposo da Virgem Maria e pai adotivo de Jesus Cristo. Nos Evangelhos, ele aparece na infância de Jesus. Judeu religioso e praticante, José viveu do trabalho como carpinteiro, e na verdade, a carpintaria naquela época era como ser pedreiro hoje. José devotou sua vida aos cuidados com Jesus e Maria. De acordo com estudos, ele morreu antes de Jesus começar a sua vida pública, já que não é mencionado pelos evangelistas, como ocorreu com Maria.

São José teve papel fundamental na formação da personalidade de Jesus. Ensinou ao filho o caminho da justiça, da verdade, do amor e do conhecimento da palavra de Deus. Chamado de o “Justo”, São José foi inserido no calendário litúrgico romano em 1479. No ano de 1870, o Papa Pio IX declarou o santo como o Patrono Universal da Igreja. O Papa Leão XIII, num de seus documentos, exaltou as virtudes de São José, em 1889, enquanto o Papa Bento XV o declarou o patrono da justiça social.

Aproveitamos para homenagear também todos os pedreiros, aqueles que trabalham de forma direta, braçal, na construção do bem material de maior valor para as famílias mais pobres, a casa própria, e lembrando também que o pedreiro é fundamental para as grandes construções, de prédios monumentais esplendorosos, que satisfazem sonhos e a cobiça humana.

Anúncios

Parabéns às mulheres guerreiras que seguem sempre em frente e se dizem felizes

Dia Internacional da Mulher

Eu me refiro às mulheres que, apesar de tantas ocupações e adversidades, conseguem ser verdadeiramente felizes.

Às mulheres felizes que deixam o seu bem-estar para primeiramente olhar pelo bem-estar do seu próximo.

Às mulheres felizes que deixam para mais tarde o casamento para cuidar dos pais que dependem de cuidados especiais.

Às mulheres felizes que cuidam dos sobrinhos, dos filhos das amigas, da avó da vizinha sem recompensa em dinheiro pelo trabalho.

Às mulheres felizes voluntárias na sua comunidade, nas instituições filantrópicas e de caridade.

Às mulheres felizes que se dedicam à família, abrindo mão da profissão.

Às mulheres felizes que se desdobram para cuidar da família e da casa com zelo, e ainda possuem outro emprego para ajudar no orçamento da casa.

Às mulheres felizes que mantêm sozinhas a casa e os filhos.

Às mulheres felizes que conseguem administrar uma empresa e ainda estar presente na vida escolar dos filhos, além do lazer com eles.

Às mulheres felizes que conseguem conciliar atividade física com a vida ocupada de trabalho e filhos pequenos.

Às mulheres felizes que participam ativamente da vida em sua comunidade, que lutam pela causa do outro e para um mundo melhor.

Eu ressalvo as mulheres que, por enquanto estão infelizes, pois estão denunciando seus agressores e buscando sair da situação de violência doméstica, salvando seus filhos, arriscando a sua própria vida e também as mulheres que lutam na cobrança de políticas públicas para que haja maior segurança às mulheres vítimas de violência doméstica.

A todas essas mulheres acima, que não conseguem manter unhas perfeitas todos os dias e cabelos soltos em mais de dois dias na semana, que faltam no encontro semanal com as amigas e ainda conseguem ser felizes, e, claro, também às guerreiras, que por algum motivo maior estão infelizes, eu dedico a minha oração de hoje.

Sim, elas existem e estão por aí. Podem ser qualquer uma de vocês. São as que sabem que a recompensa maior não tarda a chegar.